O Blog de Herculano e as Origens do Porto

Cerca de dez anos atrás, criei o blog Pseudofilosofia, minha primeira experiência com publicações online. O blog tinha como objetivo a divulgação de poemas, prosas poéticas e algumas crônicas. Naquela época, estava ainda movido pelos eflúvios juvenis e pelo ego inflado (quando começamos a escrever poemas, tendemos a pensar que nossos versos são os melhores do mundo). O Pseudofilosofia me trouxe muitos arrependimentos e alguns aprendizados. Uma coisa boa foi ter conhecido o blog de Herculano Neto.

Identifiquei-me à primeira vista com a página do poeta santo-amarense (Por que você faz poema?) pelo tom original e inteligente. A poesia de Herculano é lúcida, moderna, concisa, com boas pitadas de sarcasmo. Não à toa ela vem, ao longo dos anos, conquistando o seu espaço com prêmios literários e publicações relevantes. Ela vem sobrevivendo às intempéries de um triste cenário cultural, pois, como propõe Alberto da Cunha Melo, “escrevemos cada vez mais / para um mundo cada vez menos”.

Herculano Neto é também parceiro de Roberto Mendes, de quem já falamos por aqui. As canções “Faz de Conta” e “Deu Saudade” foram gravadas, respectivamente, por Fagner e Alcione. O blog de Herculano tinha ainda contos e crônicas, além de postagens sobre cinema e música.

Estabelecida a amizade entre blogs, uma vez escrevi ao poeta pra lhe apresentar uma ideia: imaginava criar um site de arte e cultura, tendo a linguagem como principal palavra-chave. Poesia, prosa, música, artes plásticas, cinema… todas as formas de arte seriam apresentadas por meio de entrevistas, textos, vídeos etc.

Herculano pareceu gostar da ideia. Entre uma e outra conversa por e-mail, ele acabou me mandando um áudio com a canção “Meu Silêncio” (outra parceria com Roberto Mendes) unida ao poema “Reencontro”, de Nestor de Oliveira:

Pouco tempo depois, ainda em 2009, descobriria um vídeo belíssimo, organizado por ele, com canções de Roberto e imagens melancólicas de Santo Amaro:

Bom, essas produções me deram a certeza de que eu e Herculano tínhamos algo em comum, além do fato de termos nascido em Santo Amaro.

É uma infeliz coincidência que eu tenha lançado aquela ideia, que é o Porto da Linguagem, apenas em março de 2017: mesmo mês em que o blog de Herculano exibiu a postagem “The End”, como no final de um bom filme.

O Porto segue sua jornada – em versão menos pretensiosa do que a inicial – e está aberto à colaboração de Herculano, ainda que com tanto atraso.

Compartilhe conhecimento...