Regionalização do Brasil e Divisão Regional de 1913

A REGIONALIZAÇÃO DO BRASIL

A atual divisão do Brasil em cinco grandes regiões talvez nos pareça elementar nos dias de hoje, mas resulta de um longo processo e de inúmeros critérios. Você já parou para pensar por que os estados são organizados em regiões? E por que um estado está em determinada região e não em outra?

Pois bem. A regionalização do Brasil está diretamente ligada ao seu processo histórico, à sua condição inicial de colônia, a ocupação e expansão do seu território em decorrência das diferentes atividades econômicas estabelecidas ao longo do tempo.

Em termos técnicos, regionalização é a divisão de um território em unidades ou áreas menores que tenham características comuns. Considerando que o Brasil possui uma área equivalente a 8,5 milhões de km2, o que lhe confere o posto de quinto maior país do mundo, dividi-lo em regiões não foi tarefa fácil, mas extremamente necessária. Os critérios de agrupamento podem ser naturais, físicos, sociais e econômicos e a regionalização é muito útil para a organização e conhecimento do território, para obtenção de estatísticas precisas da condição social de um país, para a implementação de políticas públicas de planejamento e também para facilitar o ensino da Geografia.

DIVISÃO REGIONAL DE 1913

A primeira organização do Brasil em regiões ocorreu, ao que tudo indica, em 1913 e levava em conta sobretudo os aspectos físicos – como clima, relevo e vegetação. Tinha finalidade didática. Consoante essa divisão, o Brasil foi divido em cinco grandes regiões ou brasis, a citar:

Brasil Setentrional ou Amazônico: Acre, Amazonas e Pará.

Brasil Norte-Oriental: Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas.

– Brasil Oriental: Bahia, Espírito Santo, Sergipe, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

– Brasil Central: Goiás e Mato Grosso.

– Brasil Meridional: São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Compartilhe conhecimento...