Santo Amaro: 3 canções

Hoje, 13 de março, minha cidade natal (Santo Amaro/BA), da qual tenho imenso orgulho, completa 180 anos de emancipação política. Como forma de homenagear essa cidade que tanto me deu em cultura, música e poesia, apresento aqui três canções de alguns conterrâneos ilustres.

01- Cidade e Rio é uma belíssima canção em que a memória, revestida de saudade, procura o tempo perdido. O eu-lírico se debruça sobre a Santo Amaro de outros tempos, suas ruas e o rio Subaé, como um “Proust sem madalenas”. A dor da distância está sempre presente. Magnífica letra de Jorge Portugal e melodia (não menos genial) de Roberto Mendes.

02- Brasil Pandeiro, composta pelo santo-amarense Assis Valente, é um hino à brasilidade, uma exaltação ao que há de mais puro na nossa cultura popular. Tornou-se, sem dúvida, uma das canções mais importantes da música brasileira. Abaixo apresento a versão de Novos Baianos, lançada no álbum Acabou Chorare, de 1972.

03- Purificar o Subaé versa sobre a assustadora poluição do principal rio de Santo Amaro pelo “horror de um progresso vazio”.  A canção foi composta por Caetano Veloso , santo-amarense que dispensa qualquer apresentação.

Compartilhe conhecimento...